sábado, 8 de setembro de 2007

Tinha uma kombi no caminho...

Não estou fazendo nenhum "comercial" do veículo, mas ao tomar conhecimento que a Kombi estava fazendo 50 anos, quase que imediatamente me veio à memória cenas de um "filme" muito antigo, porém jamais esquecido! Esse veículo, que muitos chamam de "perua", (coitada, que apelido infeliz!) foi personagem de um acidente que me deixou algumas perebas e um trauma presente cada vez que atravesso uma via de grande e/ou pequena circulação de automóveis! Não vou dizer que ela é minha Julieta, mas que vivemos um drama à Shakespeare, não tenho nenhuma dúvida!
.
Quando criança morei ora com minha mãe, ora com meu pai! Na verdade, pode-se dividir essa "caminhada" em quatro fases bem distintas! A primeira, a família, enquanto uma instituição, ainda existia; a segunda, a separação dos pais, muito ruim para um garoto de apenas 4 anos, embora não saiba se a separação houvesse acontecido mais tarde os efeitos fossem menos dolorosos; a terceira se caracteriza como uma fuga da casa paterna para ir morar com a mãe, uma manhã de domingo para não ser esquecida jamais; por fim, a morada com o pai, no início da puberdade até a entrada na idade adulta. Você pode estar se perguntando o que tudo isso tem a ver com a Kombi! Para que falar desse "vale de lágrimas"! Não há aí a intenção quase descarada de comover, mexer com seus sentimentos mais nobres, meu caro e oculto leitor? Não seria uma intenção velada de aumentar o número de acessos, fazendo graça?
.
Se você está acompanhando com a devida atenção, meu oculto e culto interlocutor, deve ter percebido que logo no início avisei que a Kombi tinha me deixado algumas marcas indeléveis e perebas já cicatrizadas! Pode ser que tenha achado que era brincadeira da minha parte, mas saiba que não! Quem anda comigo sabe que tenho verdadeiro pavor de semáforo. Só atravesso uma rua se tiver 100% de certeza que não serei atropelado! Às vezes, a pessoa já está do outro lado da rua e eu ainda esperando o melhor momento! Se não vi a mudança do sinal e ele está verde para mim, aí é que não atravesso, não sou louco! Saiba, meu caro e desavisado leitor, que o trânsito mata e muito nas grandes e pequenas cidades! As causas variam desde a falta de atenção até chegar no sujeito que não sabe o que é beber com moderação! Nas pequenas cidades e também nas grandes muita, mas muita, gente "dirige" sem habilitação! Aliás, prezado camarada, diga-me uma coisa, se saem quatro pessoas para a balada e as quatro bebem com moderação quem é que deve dirigir na volta para casa?
.
Vamos acabar logo com essa história que já está mais longa do que devia! Na realidade, acho que se não fosse criado ora na casa da mãe, ora na casa do pai, dificilmente estaria me deslocando em ruas de grandes movimentações sozinho! Filhos criados como fui, tendem a ficar auto-suficientes muito cedo. Tendem a queimar etapas, por conta da criação mais "liberada", recorrentemente, calculam muito mal os riscos! A aprendizagem acontece muito com os erros, com a empiria das ruas! Na minha infância, em Salvador, a Kombi era um veiculo de transporte de passageiros regulamentado e padronizado! Talvez para facilitar a visualização tinha a cor laranja muito intensa, via-se a sua aproximação a distância, contudo, por ironia do destino, só vi essa cor berrante quando ela já estava quase em cima de mim, tentei correr o mais rápido que pude, mas não deu! Ela me pegou de jeito! Rapaz, vi estrelas e mais estrelas em pleno dia! É claro que no final tudo acabou bem, caso contrário, não estaria contando essa história. Uma coisa aprendi, embora da maneira mais dolorosa possível: quem pára veículo não é o sinal de trânsito e sim os freios...

3 comentários:

Lauro Xavier Neto disse...

Oi Mano, cadê vc? Depois visite o meu blog e veja a foto do CHE! Você saiu do orkut? Força Sempre (dia 05-09 fez 15 anos do show da Legião em João Pessoa-PB, estive a alguns metros do Renato)...

Lauro Xavier Neto disse...

visite também o blog da SEMADEC, http://semadec.blogspot.com
saudações,Lauro

Lusimary disse...

Sabe o que é mais interessante nesta tua relação com a "perua"? É que vocês têm a mesma idade! rs