terça-feira, 27 de maio de 2008

Balé dos "Técnicos"...

Não deixa de ser risível a forma como se define a competência dos técnicos de futebol, por aqui! Os caras passam de vilão a mocinho em menos de 30 segundos, quem disse isso foi Muricy Ramalho! Eu sei que você deve estar dizendo que isso é um verdadeiro lugar comum e eu tenho que concordar! Contudo essa característica passional que tem o futebol, torna a coisa muito divertida, é uma tragicomédia a cada final de semana! As desculpas para as derrotas são as mais bizarras possíveis! Vou-lhe contar um segredo, tem uma coisa que me fascina muito mais do que o jogo em si: são as teses que os "professores" apresentam, não deixam de ter uma "profundidade" assombrosa! Houve um desses "artistas" que para motivar "seu grupo", inventou de usar uma bola de tênis como estímulo para vencer a Copa do Brasil! Mas o inesperado, para ele, aconteceu e a derrota veio, e ele se tornou motivo de escárnio por uma temporada, alguns mais cruéis disseram que o time jogou o futebol do tamanho da bolinha que o técnico usou como modelo para a sua "metáfora"!
.
Mal começou o campeonato e já tem "professor" sem emprego! Um pediu para sair, outro, pediram que ele saísse e um terceiro que não sabia que saiu! O primeiro da sequência se chama Alexandre Gallo, como muitos dos seus iguais, acha que é um grande técnico, que está talhado para dirigir um grande clube. Sua trajetória é muito interessante para não usar uma expressão menos elegante! Sempre consegue se sobressair em time de porte médio a pequeno, isso dá a ele a impressão que está no caminho certo e que é a hora de mudar de clube para dar um vôo mais alto! Foi para o Santos e não decolou! Tentou o Internacional e, de novo, mais um fracasso! Começou o campeonato no Figueirense, quando viu a possibilidade de tentar mais uma vez o tão sonhado estrelato! Na saída do Figueirense, disse que havia uma possibilidade de treinar uma equipe do exterior, talvez para não machucar a torcida do Figueira, porém no dia seguinte, já estava cantando em outro terreiro (meu Deus que trocadilho mais infame!), assinou com o Galo Mineiro, afinal treinar o Atlético de Minas dá muito mais visibilidade do que o time de Santa Catarina e lá foi o Gallo para mais um vôo, quem sabe dessa vez ele não acerta e se torna aquilo que acha que é?
.
Roberto Fernandes deixou o Náutico para treinar o outro Atlético, o paranaense, com o retrospecto da campanha que fez na equipe pernambucana, tem credibilidade! Lembro-me de Givanildo que saiu de Pernambuco para treinar esse mesmo time, tendo que encarar uma série de vexames, não conseguindo implantar seu método de trabalho, se é que tinha algum! Quem sabe não tenha sido o desconhecimento da realidade a principal razão do fracasso? Não estou querendo dizer que vai acontecer o mesmo com Roberto Fernandes. O que não podemos esquecer é que está substituindo justamente aquele que foi demitido, sumariamente, sem que soubesse que estava sendo! Ney Franco é o primeiro "professor" que perde o emprego neste campeonato! Pois é, o nosso Ney Fraco,(sic) não resistiu aos resultados ruins e foi mandado embora, contudo para quem saiu do Ipatinga para o Flamengo, até que ele foi longe!
.
O treinador do Sport, Nelsinho Batista, aquele mesmo que foi contratado ano passado para salvar o Corinthians da segundona, achando que era afeito a milagres, hoje é um dos semi-finalistas da Copa do Brasil! Já deve ter se curado da ressaca do fracasso e caso vença, deve voltar a acreditar que a fé remove montanhas no futebol, as vitórias sobre Luxemburgo, o falastrão, e Abel Braga, o beberrão(não é que rimou!?), lhe deram uma credibilidade insuspeita, afinal, o primeiro é considerado o melhor "professor" em atividade no Brasil, e o segundo é campeão do mundo! Dentro dessa penca de "milagreiros", ainda temos o "técnico" do Fluminense que ao derrotar o Muricy e, por conseguinte, o São Paulo, também danou-se a falar, esqueceu-se do fiasco da "bola de tênis e saiu alardeando que é um predestinado, que é um vencedor, que os outros "técnicos" têm muito o que aprender com ele; não está se lembrando de um preceito básico para quem trabalha neste meio: humildade! O curioso é que com a perda do campeonato carioca, parte da imprensa dizia que o Fluminense era muito time para pouco técnico. Nesta "dança" dos "professores", ainda não sabemos quantos, mas entendemos que serão vários os que estarão demitidos ao menor sinal de fracasso, nesta corda bamba, que é a profissão de técnico de futebol. Já temos alguns com a corda no pescoço: Muricy, Giba (Ipatinga)...no bolão cravei Gallo e Roberto Fernandes como os próximos, quer apostar?...

Um comentário:

Lusimary disse...

Ainda bem que você não apostou! rs... Beijos