segunda-feira, 28 de abril de 2008

"Teoria da Conspiração"...

Jogavam os dois maiores tenistas do mundo na atualidade, Roger Federer, o número 1 e Rafael Nadal, o número 2, decidiam um dos Masters Series, neste caso, o torneio de Monte Carlo. Vendo a partida, dizia a mim mesmo o quanto o esporte de alto rendimento é feito para estimular e estabelecer individualidades! Um negócio, no caso do tênis, de milhões de dólares, onde cada minuto de exposição representa um custo astronômico! As marcas que patrocinavam o evento confirmavam o fato: rolex, mercedes, entre outras. Esporte de alta performance é isso mesmo: muita força, habilidade aprimorada e um investimento financeiro estupendo! Quem viu Gustavo Kuerten jogar sabe que seu piso predileto era o saibro, hoje, esse é o piso no qual Nadal é um jogador quase insuperável!
.
Pelo início do jogo, tudo levava a crer que haveria a quebra de sequência de vitória de Nadal, que já ganhara o torneio por três vezes seguidas! Federer quebrou o serviço do espanhol logo no primeiro game do primeiro Set! Porém, logo em seguida, Nadal fez o mesmo! O detalhe curioso é que mesmo quebrando o serviço de Nadal, por mais duas vezes, ainda assim, Federer perdeu o set por 7-5! Comecei a ficar meio que incomodado com a questão. Ainda que não seja esse o piso predileto de Federer, sua categoria permitiria perder assim? Será que tinha algo estranho no resultado? Sei que posso estar sendo leviano com essa hipótese, meio maquiavélica, construída a partir do resultado inicial da partida, mas não posso negar que a derrota do Suiço me causou uma certa estranheza!
.
O segundo set traz um Roger Federer, simplesmente, arrasador, sem grandes esforços, ganha os quatro primeiros games de forma categórica! Uma vantagem, convenhamos, quase imbatível para qualquer um que enfrente o Suiço e esteja perdendo por 4 a 0! O comentarista do canal Sportv, Dácio Campos, anunciou como certo o terceiro set, bastava Federer manter seu serviço dali em diante! Contudo, "estranhamente", Federer só ganhou mais um game e perdeu, de novo, por 7-5! É neste momento que o Jerry Fletcher que há em mim começou a ganhar corpo, é neste instante que começo a achar que a Teoria da Conspiração é possível a partir do desenvolvimento do set que deu a Nadal o quarto título seguido, um recorde quase impossível de ser batido! Jerry Fletcher é um motorista de taxi (interpretado por Mel Gibson, no filme Teoria da Conspiração) que vê em cada esquina conspirações para domínio de tudo e de todos! É um paranóico em potencial! Já imaginaram se estivesse tudo dominado? Foi assim que me senti vendo a final de tênis do torneio de Monte Carlo! O que me levou a achar que Federer e Nadal podem ter "arranjado" o resultado? Onde percebo a teoria da conspiração, sem parecer paranóico?
.
Ora, quando entraram em quadra, tínhamos ali os dois melhores jogadores em pisos diferentes; Nadal é um exímio jogador do saibro, enquanto Federer é imbatível no piso duro! Então, nada surpreendente, não é mesmo? É verdade, mas no sentido do domínio do mercado de material esportivo a disputa era Nike x Nike! Qual é a melhor marca? Se usarmos um raciocínio aristotélico, como fazemos cotidianamente, diríamos: se Federer e Nadal são os melhores tenistas do mundo, logo a melhor marca de material esportivo do mundo é a NIKE! Onde está a teoria da conspiração? Bem, para a marca é importante que Nadal confirme sua hegemonia, naquele piso ele é soberano, assim como a marca que o patrocina e nenhuma outra! E Federer, ainda que não seja "bom" neste piso, mas o material esportivo o leva a ser o segundo! Sei, você deve estar dizendo: isso é muita loucura para ser verdade! Sim, você pode ter razão, não nego que pode ser uma grande loucura, contudo foi o único sentimento que me veio à cabeça após a derrota do maior tenista de todos os tempos, depois de estar vencendo por 4 -0...

Um comentário:

Manuela Cássia disse...

Esse post me fez pensar que sim, pode existir uma teoria da conspiração SIM!!!!! Para a Nike é muito interessante manter a hegemonia em dois pisos com tenistas diferentes. Afinal, melhor vender material esportivo de dois tenistas, ou somente de um??? Sem contar que, Nadal sendo Latino, a Nike pode levar um outro mercado, que não tem muitas referências no esporte e abarganhar os latinos "emergentes" que se apaixonam por qualquer tenista que faça mais do que o comum. Não desmerecendo claro o tenista que é Rafael Nadal. A gente sabe que o sentimento de "patriotismo" conta bastante nesses casos. Além disso, os caras são uma gracinha!!!!! E lá vai o mercado feminino sendo abarganhado pela Nike. Nossa, acho que criei outra teoria da conspiração...