sábado, 31 de março de 2007

Soteropolitano é grego!

Quando na escola a aula era de História não gostava, já que naquele período eram os militares, juntamente com uma tal de USAID (United States Agency for International Development) que diziam o que deveríamos aprender e como, então era decorar nomes, datas, fatos cujo sentido não via ou não entendia, vejo que minha professora sequer entendia, nunca em tempo algum ela falara sobre o golpe, mesmo que en passant, posso, passados tantos anos, estar sendo injusto para com ela, aqueles eram tempos de medo, acho que ela pensava como aquele professor do filme Sociedade dos Poetas Mortos que dizia que o currículo dava conta dos seus objetivos e perguntava: para que meninos entenderem mais que o essencial?

A aula de história era o lugar que eu nunca queria estar! O Brasil fora descoberto, nunca invadido; os índios eram os selvagens, nunca os donos das terras; linear e sem sentido, vivíamos acreditando na História contada pelo vencedor, os índios não foram dizimados pela forma como se deu a colonização, o eufemismo era ridículo, eles não se adaptaram ao trabalho, coisa que os negros se adaptaram e muito bem! Tanto que dos famosos "decorebas", muito pouco ficou, como era de se prever, não sei por que, mas não esqueci da data de fundação de Salvador, nem aquela coisa de que Cabral nos descobriu se firmou, tanto que ainda hoje, é meio risível, não tenho certeza se foi 21 ou 22 de abril a tal descoberta! Porém a data de fundação de Salvador jamais esqueci, 29 de março de 1549, embora não soubesse, a partir do dado solto, qual a sua utilidade na minha aprendizagem!
.

Se perguntarmos à maioria da população de Salvador o que quer dizer soteropolitano tenho certeza que não sabe o que quer dizer, o que é um bom exemplo para se perceber o quanto as aulas de História ainda hoje devem ficar no "meio do caminho", por conta do idioma que origina a palavra, se nem sequer há qualquer indicação nos currículos sobre o latim, língua da qual o português se originou, imagina o grego! Pois é, a palavra soteropolitano vem do grego sotérion, que significa salvação, e pólis que significa cidade, logo, usando de um silogismo aristotélico, soteropolitano, seria ao pé da letra, morador da cidade da Salvação!

.
No blog Filmes do Chico, seu autor, ao comentar o filme ó paí, ó, afirma que mora em Salvador desde 2003 e que só veio entender a Bahia 8 meses depois; pensei cá comigo, eu cidadão soteropolitano, há mais de 40 anos, não consigo entendê-la e Chico Fireman já conseguiu essa proeza em tão pouco tempo! Sim, porque entender a Bahia não é fácil, nem tampouco Salvador, a cidade mais negra do Brasil e extremamente preconceituosa, isso quer dizer que preto em pleno dia andando ou correndo, tanto faz, um policial negro desconfiará da sua idoneidade! É fácil entender isso? Chico diz mais! Que odiou o axé por toda a adolescência, mas ao ver de perto o carnaval se encantou com aquela manifestação! Rapaz, o carnaval de Salvador é igual todos os anos, nada de novo, nada de original, (para não achar que sou ranzinza, pegue duas fitas de anos diferentes e compare, vai perceber o que estou dizendo) que talvez só mude as cores dos abadás dos blocos, as "músicas" maltratam durante os dias da folia "a última flor do lácio" impiedosamente, sem querer fazer nenhum estudo antropológico, o mais importante é vender abadás que já começa no dia seguinte ao fim da festa, cujo chamariz, quase sempre subreptício, é muito beijo na boca, carnaval é comércio, na verdade, muitos dos seus filhos não brincam, puxam corda! É fácil entender isso?
.
Contudo é uma cidade linda! Quem quiser se deslumbrar basta olhar para a Baía de Todos os Santos ali do Campo Grande; entrar no Passeio Público e observar o mar daquele lugar é divino e maravilhoso! Suas ladeiras, muito semelhantes às de Cuba, a Feira de São Joaquim, visitar o subúrbio ferroviário, nadar em Ilha de Maré, comer uma mariscada na Pedra Furada, observar o desenho das ondas no Humaitá, ver o mar à noite no Bairro do Santo Antonio, não tem igual, é a felicidade elevada ao infinito! Essa senhora fez 458 anos no último dia 29 de março, meu desejo natalino é que algum dia ela deixe de ser vilependiada, que seus filhos possam usufruir de suas belezas, das suas riquezas, que possam brincar o carnaval, não como cordeiros, mas como SOTEROPOLITANOS, espero que para isso não tenhamos que falar grego...

2 comentários:

Lusimary disse...

Sabe que Curitiba faz aniversário no mesmo dia? Com um hiato de 144 anos, ela fez 314 anos no dia 29/03. Tua paixão pela cidade, os lugares lindos que você mencionou em teu texto faz com que, se eu não os conhecesse, tivesse muita vontade de passear por eles. Espero fazê-lo mais vezes, ser recebida como fui nas duas vezes que estive em Salvador, especialmente a última! Onde me senti "em casa"! Obrigada!

Manuela Cássia disse...

Olha, vou lhe dizer, nem eu sabia o significado kkkkkkkk que vergonha!!!!!!! Bom saber, e, concordo contigo em todas as linhas.