quinta-feira, 6 de novembro de 2008

English da Bahia...

Os antigos "latifundiários" da Bahia, no período do carlismo, usando a criação de novos empregos como chamariz, levaram para a cidade de Camaçari, na região metropolitana de Salvador, a primeira montadora de automóveis da região nordeste: a Ford. Até aí, em que pese todas as contradições que projetos dessa envergadura carregam, nada que fuja aos padrões de competição entre Estados na disputa por uma fatia do mercado automotor. A implantação da fábrica significava recursos que iam para além da mera inserção no setor! ACM ameaçou FHC afirmando que, caso este não assinasse a Medida Provisória do Regime Especial Automotivo para o Nordeste, necessária para regularizar as isenções fiscais concedidas à Ford, levaria o PFL, atual DEM, para a oposição: era o toma lá, dá cá, bem no estilo do velho cacique. O triste nesta história é percebermos que esse era o tipo de político que tínhamos(?).
.
Naquele período houve discussões homéricas sobre o assunto. A elite política baiana invadia um segmento ausente no universo economico da região: entrava na indústria automobilística, espaço antes reservado ao centro sul do país. Contudo, e os filhos da terra sabem disso, para quem conseguiu um canal de TV e logo em seguida tomou de assalto a Globo, que naquele momento era retransmitida pela elite decadente do Estado, os Vianas, isso era coisa pequena. Não podemos esquecer de outra "ousadia" do grupo de Malvadeza, alcunha de ACM. Os Caras mudaram, sem nenhum constrangimento, o nome do aeroporto do estado, que emblematicamente se chamava (?) Dois de Julho! Imaginem alguém que tem o filho morto e resolve lhe prestar uma homenagem dando seu nome a um dos maiores símbolos de um Estado, não parece coisa do século XIX?
.
A "impressão" é que a Bahia era/é um grande latifúndio e cada um vai pegando seu pedaço, "a parte que lhe cabe". O fato é que, para nossa sorte, o latifundiário maior desapareceu, mas, infelizmente, sementes ficaram! No fim, o mal já estava feito e a Ford foi instalada no Estado, nem poderia ser diferente, com todas as regalias que obteve, era negócio de pai para filha! Todavia o que me causou estranheza e espanto, embora já saibamos que em todo comercial de automóvel a música de fundo é de língua inglesa, foi a nova propaganda do Focus da Ford, de Camaçari! Na verdade, estamos reclamando de barriga cheia, vemos que houve "evolução"! Já não é mais o inglês a canção de fundo, com todas aquelas estradas desimpedidas, sem buraco algum ou qualquer coisa que impeça o livre transito do motorista e seu prazer em dirigir!
.
No comercial do Focus tudo gira em torno de uma música. Desde os primeiros esboços até a aparição triunfal do automóvel, todos os personagens, indistintamente, que aparecem no comercial, cantam happy together como se fosse algo tão natural que temos a impressão que estamos em algum país de língua inglesa! Fiquei entre surpreso e angustiado. É que ao longo de minha vida, sempre afirmei, e continuo afirmando, que na Bahia não há sotaque. Falamos tal e qual a Rosana Jatobá, a baiana do Jornal Nacional. Vejo na peça publicitária não só a confirmação de minha tese, como também, e é isso que é mais grave, já não falamos mais nosso bom e velho baianês. Nossa língua agora é a de Shakespeare! Oh, God, que aflição atroz: To be or not to be that is the question. Será que perdemos nossa identidade ou existem mais coisas entre o céu e a terra do que supõe a nossa vã filosofia?...

4 comentários:

Lusimary disse...

Como um certo professor que conheço, pergunto: se os baianos estão falando inglês, de onde será este inglês? Britânico? Nova-iorquino? De Boston, Chicago, do Texas? Veja bem, não estou afirmando que os baianos têm sotaque e sim, o inglês que os baianos falam!!!

LUCAS E FLÁVIA "AMOR ETERNO" disse...

e ai negão!!!
vc é foda mesmo!!
Parabéns pela critica bem humorada

desde já gostaria de te convidar para o meu casamento, será realizxado em Feira de Santana no mês que vem, semana que vem lhe mando a data

abração!!
vê se dá noticias!!!

Lucas Matos de SOusa

Manoel Gomes disse...

Mary, todas as vezes que leio seu comentário começo a rir! É como se o tiro saisse pela culatra,rs,rs. Veja bem, se prestar atenção nos "baianos" representados no comercial verá que eles falam o inglês mais puro que existe. É impossível dizer em qual dos lugares citados eles se enquadram. Se quisermos fazer uma analogia, basta prestar atenção em Rosana Jatobá, você seria capaz de dizer de que lugar ela é?rsrsrsrs

Manoel Gomes disse...

Lucas, meu camarada! Que bom vê-lo por aqui. Quer dizer que enfim, vai ser um homem sério,rs? Não esqueça que estou morando em Florianópolis! Tenho aula até início de dezembro, aliás, não seria esse um mês ideal para casamento? Grande abraço, meu amigo!!