sábado, 25 de outubro de 2008

Controle Remoto...

Por pura catarse resolvi desabafar, nem sei se aqui é o lugar mais indicado. Na realidade, nada melhor do que colocar os nossos fantasmas porta afora! Fico me perguntando porque os seres humanos inventaram uma coisa tão estranha e deram o singelo nome de AMOR! Sentimento afeito a enormes contradições! Pois é, temos entre os milhões de conceitos este que é sublime, porque fala diretamente ao coração! É bem provável que aquela canção, daqueles dois irmãos chatos, cujo pai se chama Francisco, fique enjoativamente ecoando na sua cabeça! Faz-se de tudo por amor! Mata-se inclusive. Aliás, há contradição maior do que destruir, fazer desaparecer o ente que você diz amar?
.
Nos dias que antecederam à tragédia de Santo André, fiz uma série de ironias que agora me causam vergonha e constrangimento! Jamais, em tempo algum, pensei que aquele indivíduo tivesse coragem de destruir a vida da menina Eloá, inclusive, vislumbrei um desfecho mais coerente: o suicídio do bandido, afinal, era ele quem não conseguia viver sem ela, tudo fora feito por causa da paixão que o consumia! Mas nem tudo é tão simples como imaginamos, não há lógica na maioria das nossas atitudes. Somos seres imponderáveis, às vezes, desprezíveis! Foi Andy Warhol quem disse que todos teríamos quinze segundos de fama! Pois é, não poderia ser diferente! A mídia caiu de boca, sequiosa pelo sensacionalismo que o caso lhe proporcionava! Lindemberg se tornou, em poucos dias, "atração" nacional! Todo mundo queria saber qual seria o desfecho daquele drama. O estranho, para os padrões televisivos, é que se tratava de pessoas comuns, esse não era um caso típico da "classe média". O fato é que só na tragédia o drama do pobre aparece na TV! Aliás, o caso garantiu, em alguns momentos, o primeiro lugar da audiência para a rede do bispo! E, para espanto de alguns, uma apresentadora de TV, Sonia Abrão, teve a infeliz idéia de conversar ao vivo com o assassino! Sinal dos tempos: entrevista com o criminoso, antes de o crime acontecer!
.
Neste circo sem pão, aconteceu algo que reforçou a sensação que tudo aquilo não passava de uma farsa. O momento em que a "refém", é de se causar estranheza, voltou a ser refém! Nada mais paradoxal! Tudo levava a crer que o sequestro ia acabar bem! Mas estamos vivendo o tempo em que a mídia transmite as desgraças ao vivo, não importam as consequencias, o importante são os números do ibope! Tivemos acesso à conversa do sequestrador, onde este, subrepticiamente, afirmava ao policial que aquilo não ia terminar bem! Ironia do destino, descobriu-se que embaixo da tragédia havia outra. O pai da menina, além de ter ficha na polícia de Alagoas, era/é cúmplice do sequestrador, que por sinal, é membro de uma quadrilha em Santo André! Essa seria a principal razão de ele não se opor ao namoro da filha, que já fora espancada, em algum momento, pelo criminoso! Nelson Rodrigues disse que brasileiro só é solidário nas tragédias, causa-nos deleite as misérias dos outros. Vimos como o acontecimento desumano do ônibus 174, também transmitido em rede nacional, se transformou em "arte". Este caso, por estranha ironia, tem todos os ingredientes para que isso se repita, prova da materialização da barbárie, Mészáros, em outro contexto, afirmou que se tivéssemos sorte chegaríamos lá...

3 comentários:

Lusimary disse...

Conforme prometido, eu estive aqui hoje (27/10/08), ontem e anteontem... E adivinha só? Amanhã eu também venho!

Manoel Gomes disse...

e nem leu...assimm não serve...

Lusimary disse...

Li, sim!!!