domingo, 5 de outubro de 2008

"Separações"...

Um repórter, certa feita, perguntou a John Lennon qual era a possibilidade de reagrupamento dos Beatles e este, de forma sarcástica, respondeu: "basta comprar os discos de cada um de nós que as pessoas terão os Beatles em casa!" O fato é que há separações e separações, naquele caso, um ciclo havia terminado, nada mais poderia mantê-los juntos, o caso é que eles chegaram ao "limite" possível de convivência! Sem esquecer que toda unanimidade é enganosa, mas essa foi a melhor banda de todos os tempos! Reconheço que as comparações são sempre redutoras. Aquela separação, geradora de inúmeras frustrações, não tinha retorno, para além de todos os acenos do mercado, de todo e qualquer apelo midiático, John, emblematicamente, dissera: "o sonho acabou!"
.
Essa talvez tenha sido a separação mais controversa do mundo fonográfico, afinal, eles chegaram a patamares quase intransponíveis, muitos dos que vieram depois seguiram, apenas, os seus passos! Tivemos outras zilhões de bandas que se desagregaram! Umas por mera vaidade daqueles que estavam à frente, talvez por acharem que eram mais do que aquilo que realmente eram! Outras (quem há de saber?), quiçá por uma jogada de mercado, por mera promoção. Em muitas, o sujeito que estava à frente, levava os outros às costas, razão de muitas carreiras solos, bem ou mal sucedidas! Não podemos esquecer que estamos falando daqueles que produzem e gravam canções para consumo de outrem. O que não pode ser omitido é que quem entra nesta seara que é a indústria fonográfica, não quer outra coisa que não seja vender discos, todos sem exceção, mesmo aqueles que gravam por "diletantismo"!
.
Entre as bandas brasileiras destacadas, tem o caso do Charlie Brown Jr, cujo vocalista mandou todo mundo embora. Os motivos alegados não convenceram porque a qualidade dos músicos e a irmandade que havia entre eles eram enfatizadas em prosa e verso, por Chorão! O interessante nestas separações é o dia seguinte, o que vem depois! Como geralmente temos um vocalista com uma banda sem rosto atrás, raras são as vezes em que além daquele, outros se destaquem, a carreira solo termina sendo o estuário. Embora nem sempre o tão esperado sucesso se concretize! Há saídas para a carreira solo que não decolaram: Dinho Ouro Preto, do Capital Inicial, Paulo Ricardo, do RPM, Leoni, do Kid Abelha, Ras Bernardo, do Cidade Negra, embora o último não tenha saído, tiraram-no porque não concordava com a mudança de "perfil" da banda. Em síntese, as separações na maioria das vezes, salvo raras exceções, tem como objetivo carreira individual! Quando Arnaldo Artunes, primeiramente, e depois Nando Reis saíram dos Titãs, foram literalmente excluídos da "história" do grupo, seus nomes não constavam no livro comemorativo da banda, a separação deixou imensas cicatrizes!
.
Quando os Beatles se separaram, traziam atrás de si uma longa e consolidada obra. Uma produção que até hoje, passados tantos anos, é referência. Neste caso, quando os pares se divorciaram a razão maior pode ter sido o desgaste, que ironia, da convivência, perceberam que não havia mais condições de juntos ir adiante. Por outro lado, e guardadas as devidas proporções, embora um dos Beatles, George Harrison, tenha gravado um dos sucessos da banda, a "renegada" Anna Júlia, quando um grupo, como Los Hermanos, que lançou apenas quatro discos ao longo de 10 anos de carreira, resolveu "dar" uma parada, aparentemente, chegara à exaustão um grupo que parecia que teria vida longa. Perceberam, os seus integrantes, que não era mais possível produzir nada diferente juntos. Continuar poderia ser um mero repetir-se. Ao ouvir o disco Sou, de Marcelo Camelo, fiquei me perguntando o tempo inteiro se era Marcelo Camelo ou Los Hermanos, não que possa precisar uma mudança significativa do que era feito antes e agora! Na realidade, o pouco tempo de "separação" não me permitiu desassociar a voz e as canções daquilo que era feito em grupo! Entretanto há uma coisa que é perceptível. Los Hermanos era (?) uma banda que intrigava e comovia pelo conjunto da obra. Que fazia um som que alguns tinham dificuldade de assimilar, e isso era provocador, embora afirmassem que gostavam das letras! O lado triste dessa história é que Marcelo Camelo poderá se transformar em mais um dos milhares de intérpretes da MPB, provavelmente, atrairá as pessoas, não pela voz, existem outras mais belas e brilhantes, porém por ser ex letrista, ex vocalista, ou seja, por ser um ex Los Hermanos, o que me leva a pensar: será que era apenas isso que pretendia ao gravar ?...

3 comentários:

Lusimary disse...

Eu não conheço toda discografia do grupo e, ao ouvir outro dia no rádio a música de Marcelo Camelo, pensei que fosse Los Hermanos...

jonatan disse...

super produção!!!
sou seu fã

Manoel Gomes disse...

Oh, meu camarada,saudades de ti!!