quinta-feira, 11 de junho de 2009

Traição...

Repentinamente, as imagens me vieram à memória com uma intensidade voraz, nem sei qual a razão! Passaram-se tantos anos, o certo é que tudo fora algo muito dolorido, diria tanto para ela quanto para mim, por uma simples razão e, por causa dessa simples razão, a memória se fez com tamanha intensidade que não tive outra alternativa senão regurgitar aqui, peço-lhes desculpas por macular suas vestes com um verbo tão nauseabundo! Talvez essa lembrança esteja associada ao dia dos namorados! Aqueles que estão juntos, ah, esses vão jurar e jurar que não têm olhos para outra pessoa a não ser aquela que está ao seu lado! Oh, o amor, há sentimento mais trágico, sinistro e patético?!
.
Na verdade, o grande amor da vida dela tinha o nome igual ao meu, é verdade, ele também se chamava Bráulio! São as coincidências da vida e do amor! No primeiro momento, brincamos muito com isso! O que não imaginávamos era que essa ironia ia-nos custar muito caro! Mal sabíamos o quão perversa seria aquela coincidência! Que nos causaria o sofrimento mais profundo, sofrimento mais extremo, tanto para ela quanto para mim! Por que nos esforçamos por lembrar de coisas que nos machucam? Por que tinha que ser assim? Por que matamos antes e perguntamos depois? Por que nos destruimos de ciúmes quando na maioria das vezes não há razão alguma para isso? Por que amar se resume a curtos momentos, pequenos, reduzidos de felicidade, que nós, por estranha razão, queremos prolongar por toda eternidade? Uma frase, entreouvida na barbearia, ribombava na cabeça de Bráulio: "Imagine você encontrar sua mulher desnuda mantendo relações com outro homem na cama do casal?"
.
Espera aí que vou acabar com esse suspense. Foi assim que aconteceu! Estávamos estudando juntos, no meu quarto, era noite, lá pelas 21horas, mais ou menos, quando o telefone tocou! A amiga de quarto imediatamente atendeu, era Bráulio procurando por Luísa, vejam que só agora declaro o nome dela! A amiga pensando que era eu dissera: "oh, Bráulio, deixa de brincadeira que Luísa está aí no quarto com você!" Só percebera, um pouco mais tarde, que aquele Bráulio não era eu, era ele! Luísa nos tranquilizou: "fiquem calmos, Bráulio confia cegamente em mim, em nenhum momento ele imaginaria qualquer coisa entre nós!" Algum tempo depois, Luísa entrava no escritório de Bráulio sem avisar e o encontrara nos braços de OUTRA! Incrédula, exclamou: "o que está acontecendo aqui?" A última frase já enunciara aos prantos, jamais em tempo algum imaginara que Bráulio seria capaz de traí-la, tão descaradamente, será que existe outra forma? Aquele casamento seria para sempre! Perdera, completamente, toda a vontade de viver, ficara louca, porém o que a levou à morte fora a desculpa que ele lhe lançara à face, justificando a traição: "você também não esteve no quarto com Bráulio?!...

3 comentários:

Lauro Xavier Neto disse...

Prezado Sr. Manoel Gomes,

reserva confirmada, com entrada prevista para 05 de julho. Desejamos uma boa estada na Parahyba. Aguardamos tua chegada ansiosamente,

saudações,
LPXN

**************************** disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
**************************** disse...

Professor Manoel, tudo bem? Meu caro preciso entrar em contato contigo, pois preciso muito de seu depoimento em minha pesquisa ok? Fico agradecido desde já. o link é www.pesquisaufba.com
Qualquer dúvida mande-me email para pimentelbaiano@terra.com.br