quarta-feira, 26 de agosto de 2009

Maurren, Jadel, Fabiana e seus fracassos...

A utilização pela mídia da emoção barata nos eventos esportivos já não nos surpreende mais! Percebe-se que seu principal instrumento de "coação" é o choro dos vencedores e/ou perdedores, logo, quer que façamos o mesmo! Não foi diferente no campeonato de atletismo 2009, realizado em Berlim, entre 15 e 23 de agosto. Como não poderia faltar, fomos acarinhados com algumas lágrimas da menina Maurren, bem que ela tentou, mas a dor foi mais forte e as lágrimas vieram, desculpem-na pelo fracasso, sim?! O joelho impossibilitou a realização do sonho da medalha e, quem sabe, mais alguns trocados em sua conta corrente!?Como nossa memória costuma nos trair, é bem provável que nem lembremos que, há mais ou menos um ano, se comemorava sua medalha de ouro, venceu a russa por um centímetro, e o "fracasso" de Fabiana Murer e suas varas, nas Olímpiadas de Pequim-2008! Aliás, é preciso que se diga, necessitamos e muito desses heróis esportivos para nos sentirmos menos perdedores, pensem bem, com o congresso que temos, repleto de Sarneys, Renans e outros, poderia ser diferente? Teria razão Angela Rô Rô quando dizia que "só nos resta viver"? Ou de quando em vez, a pedido da mídia, devemos derramar algumas lágrimas por eles?! A frase do repórter da rede globo Pedro Bassan, logo após o recorde de César Cielo nos cem metros, dá a exata dimensão das ironias linhas atrás: "um grande feito para a humanidade." Fala a verdade, não é surpreendente ouvir um jornalista, ainda que ele seja medíocre, dizer algo com esse teor? Transformar uma ação motora individual em algo extraordinário para os seres humanos, convenhamos, é de uma estupidez sem precedentes. Albert Einstein afirmou, certa vez, que apenas duas coisas eram infinitas: o universo e a estupidez humana.
.
Entre os chamados atletas de elite, Jadel Gregório é aquele que considero o mais "malandrão" de todos. Parece que foi surpresa até para ele mesmo quando no Troféu Brasil-2007, em Belém, obteve um salto de 17,90m! Um grande feito, sem sombra de dúvida, além disso, conseguiu quebrar o recorde de 17,89m que pertencia a João Carlos de Oliveira, o João do Pulo, que já durava 32 anos. Impactado com a façanha, perdeu a noção de tempo e espaço e saiu prometendo que a próxima proeza seria a quebra do recorde mundial do britânico Jonathan Edwards, a singela marca de 18,29m! Acreditava que podia por causa do tamanho do seu pé e por ser treinado pelo mesmo técnico do recordista! Brincadeiras à parte, o fato é que não chegou nem perto da promessa, vindo em curva descendente depois do feito da capital paraense. No último mundial, nas eliminatórias obteve 17,06m se classificando em último, a oitava posição. Na grande final, seu maior salto foi 16,89m lhe garantindo de novo, a última posição. Apesar disso, esse ano já saltou a marca "alvissareira" de 17,11m, no Meeting Indoor de Karlsruhe, na Alemanha. Curiosamente, o recorde do torneio pertence a ele, que na edição de 2004, conseguiu a marca de 17,46m. A desculpa para o desempenho tão ruim no mundial foi atribuído ao joelho. Na verdade, Jadel passa, para mim, a idéia de um bon vivant. Vive a vidinha que pediu a Maomé, lá na Inglaterra, e, nas horas vagas, tenta saltar satisfatoriamente. Suas afirmações são, no mínimo, curiosas. Chegou nas Olímpiadas de Atenas-2004 afirmando que só faltava saber qual seria a cor da sua medalha, não ganhou nem bronze! No mundial, a queda da qualidade de seu salto foi assustadora, mas aí a culpa não foi dele. A pergunta que não quer calar é: como pode um atleta de alto nível, sabendo que não está nas suas melhores condições, participar de uma competição em que estarão os melhores do mundo, incluindo no pacote uma séria lesão no joelho? Será que superestimou sua capacidade, entendendo que mesmo com o joelho roto venceria ou para o patrocinador tanto faz que ele se arrebente o importante é a exposição da marca?
.
Fabiana Murer, depois do incidente de Pequim-2008, surpreendeu-me. Achava que tudo aquilo não passava de jogo de cena, que ela tinha "amarelado" na hora do salto e usou as varas como desculpa. Não há mais dúvida que realmente foi vítima da negligente organização do evento. Contudo sua reação deu a impressão que havia uma "conspiração" contra ela. Havia "alguém" querendo impedir que ela saltasse. Poderia ser a CIA a responsável pelo desaparecimento das suas varas? Observando sua trajetória, naquele período, seu maior salto foi de 4,70m, não seria nem bronze, já que a terceira colocada obteve 4,75m. Mas é claro que poderia surpreeder, afinal está entre as dez maiores saltadoras do mundo! Este ano saltou 4,82m no Troféu Brasil, no mês de junho! Em Berlim, apenas Isinbayeva com 4,85m saltara mais que ela, já que Rogowska com 4,83 não iria participar! O que aconteceu? As varas estavam lá, nada conspirava contra seus objetivos dessa vez. O que houve? Ela respondeu: "na verdade, não sei o que deu errado. Não estava sentindo muito bem o salto, não peguei o ritmo da vara. Não sei se a vara estava fraca.(sic) Tenho que ver com meu técnico." Quando saiu da China, Murer avisou que nunca mais voltaria àquele país por causa do incidente das varas. Naquele momento, a vara fora a responsável pelo desastre e na Alemanha? De quem foi a culpa pelo fracasso? O Joelho? Ops, não, o joelho foi o responsável pelos fracassos de Jadel e Maurren! Então? Podemos dizer que "amarelou" novamente? Com o sarrafo posicionado em 4,65m, que pode ser considerada uma posição "baixa" para quem saltou 4,82m, queimou as três tentativas! Essas ações motoras individuais fracassadas não deveriam representar nada mais que ações motoras. Atletas são individualistas até quando seu "jogo" é coletivo! O que me deixa por demais entristecido é saber que a Petrobrás, o Banco do Brasil, a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos e o BNDES investem quantias enormes em clubes, seleções e atletas, enquanto milhões de brasileiros pobres penam nos corredores dos hospitais públicos implorando por atendimento básico! A saúde neste país é artigo de luxo, quem não tem um plano, por mais chinfrim que seja, não pode "pegar" nem resfriado e não me venham dizer que uma "nova" CPMF resolve a questão! O que fazer? Torcer e chorar com a TeleVisão assistindo as performances dos Jadeis, das Maurrens e das Fabianas? Ou o quê? O que farão os miseráveis?...

2 comentários:

MAX disse...

COMPANHEIRO, SLGO QUE AINDA NÃO CONSIGO ENGOLIR SÃO OS MILHÕES GASTOS NA REFORMA DO "PITUACIVIS", INDEPENDENTE DE TER SIDO REALIZADA PARA BENEFICIAR "O COISO" FOI DINHEIRO PÚBLICO DESTINADO A INICIATIVA PRIVADA E O PIOR...A COPA VEM AÍ, MAIS MILHÕES SERÃO GASTOS...E DE QUEBRA SOMOS FORTES CANDIDATOS A GANHAR UM "BELO PRESENTE" PARA A FELICIDADE DO POVO BRASILEIRO... QUE VENHA AS OLIMPIADAS 2016... RONALD ANDRADE...

Manuela Cassia Silveira disse...

No capitalismo, sistema de reprodução social vigente na atualidade, e principalmente nos países ditos "periféricos", esses são os nossos heróis. Já que a miseria é tão avassaladora, vamos mudar o foco, esquecer, melhor chorar com e por Maurren, do que pela miséria real, verdadeira. Obras como por exemplo, pituacivis, stock car, jogos medíocres da seleção brasileira européia em Salvador... Que tem como objetivo ludibriar a população sob o pretexto de trazer cultura e não alocar forças para o que de fato é preciso. Os hospitais estão lotados, as macas ocupam os corredores fazendo filas triplas, não mais duplas, os seres humanos expostos a todos os tipos de bactérias que um ambiente hospitalar possui. Os doentes, já fragilizados pelas enfermidades, são ainda mais contaminados por esse excesso de contingente. Mas, o que podemos fazer? Me perguntei isso nas últimas semanas e me senti tão impotente frente a essa realidade tão cruel e desoladora. Infelizmente a população em geral muitas vezes só se dá conta do circo que é essa apologia a cultura dos heróis esportivos, quando a realidade bate a sua porta. Alguém de seu meio familiar adoece e se começa a questionar: onde estão as vagas misteriosas nos hospitais? Onde está o governo que não faz nada? Só dói quando é com um dos seus. A realidade da saúde está ai, exposta em carne viva para quem quiser ver. Mas a grande maioria da população segue inerte, assistindo a banda passar...
Meios como este servem como meio de denúncia, de mostrar que nem todos estão entregues que existem aqueles dispostos a lutar, a combater a lógica capitalista. Ainda existem aqueles que sonham e acreditam que um outro mundo é possível.
UNI-VOS!!!!