sábado, 7 de fevereiro de 2009

A atividade física e seus mundos...

Carmen Soares (1994) afirma que foi nos fins século XVIII, na Europa, que os métodos ginásticos se materializaram tendo como objetivo principal cuidar da saúde! Vivia-se num mundo cheio de doenças, era preciso erradicá-las para isso a ciência, que já fizera sua revolução no século XVII, através dos médicos higienistas, prescrevia exercícios ginásticos para todos, foi a forma encontrada para combater as doenças que grassavam naquele mundo. A atividade física (ginástica) era "a receita e o remédio", todos indistintamente deviam fazê-la, afinal, quem não queria estar bem consigo mesmo e com saúde? A atividade fisica cuida do corpo e mente, temos, aí, o antigo bordão cartesiano agradecendo a deferência!
.
O interessante desse mundo é que a ginástica grega fora "renovada", transformando-se em "escolas": a alemã, a francesa, a sueca e outras. Subira de conceito, agora não estava mais inserida no mundo de escravos, que faziam "ginástica" forçada, era a salvação para o mundo do trabalho. O capitalismo incipiente precisava de corpos que pudessem atender às necessidades do mundo da exploração. O corpo/máquina era sinônimo de força, vigor, destreza e velocidade, a partir de então, todos os corpos, sem distinção, precisavam estar aptos para a indústria, para a defesa e, acima de tudo, saudáveis! Sabem qual é a grande ironia? O discurso da atividade fisica diagnostica um sedentarismo num mundo de nômades. Tenho pena dos "preguiçosos" como eu!
.
Se o mundo da tecnologia muda a cada momento, "é tudo ao mesmo tempo agora", por que o discurso do sedentarismo se propaga com tanta intensidade? Por que todo mundo recomenda atividade física para todo tipo de problema. Estar condicionado fisicamente é sinonimo de saúde? Aliás, eta palavrinha cercada de ambiguidades, ninguém sabe o que é SAÚDE! Falando numa roda de professores de educação física, perdão, "eles" não gostam de ser chamados assim, sentem-se melhor quando são chamamos de "educadores físicos"; como estamos no terreno das AMBIGUIDADES, fala a verdade, há combinação mais estranha que essa? Pode alguém educar o físico de alguém? Seguindo o mesmo raciocínio, poderíamos chamar os psicólogos e psiquiatras de educadores mentais? De novo o velho Descartes agradece a deferência. Mas falava eu que numa conversa com estudiosos da educação física, caí na asneira de dizer que estava com o colesterol alto, pronto, quase que em uníssono todos pensaram na receita e no remédio para a minha "doença"! Perguntaram-me o que todos perguntam: "está fazendo alguma atividade física?" Eu, professor de Educação Física, quase minto, ia dizer que sim, só para polemizar, mas falei a verdade. Não, não estava fazendo, era, na verdade, um poço de contradições, era não, sou! Sedentário contumaz, assumi de pronto que há anos não faço atividade física regular, não é assim que os educadores físicos falam?! Ora, eis a causa do colesterol alto. "Como podia um educador físico, (ops, professor de Educação Física, corrigi), ser um sedentário?" Que absurdo! Acho que se pudessem, caçavam meu diploma imediatamente; aliás, é bem provável que essa seja uma das próximas investidas do conselho de Educação Física - cref- confef, lugar onde reinam os donos do mundo da atividade física, caça aos sedentários!
.
Permitam-me uma pequena digressão. Um curso recente de pós-graduação, no interior da Bahia, exigiu que professores de Educação Física que quisessem fazer a seleção fossem credenciados ao cref-confef! Talvez, pior que essa asneira, seja os sujeitos se submeterem à tamanha estupidez. Pensem aí um curso como enfermagem, por exemplo, começar a exigir dos (as) candidatos (as) que vão lecionar na universidade o diploma de professor, sim, porque todo enfermeiro é bacharel, portanto, usando da lógica aristotélica, não sabem ensinar, não são professores! Poderíamos exigir que todos os enfermeiros/professores tivessem diploma, não é? Mas essa é outra história!
.
Falava do colesterol alto e de como meus "pares" ficaram horrorizados quando lhes disse que era sedentário. Lembrei que na década de 1970, um dos períodos mais violento que o Brasil já viveu (por estranha ironia, o presidente do então partido que comandava a ditadura, a arena, era José Sarney, o imortal, recém eleito presidente do senado), houve uma massificação da atividade física. Havia uma chamada nas rádios e tv's do país convocando todo mundo a se mexer: ande mais, corra mais e pense menos, era o que os donos do poder queriam. Vemos de novo que tudo aquilo que ocorreu nos fins do século XVIII, volta com uma intensidade cavalar, nos tempos atuais! Todos devem fazer atividade física regular, sob o risco de as doenças cronico-degenerativas se pronunciarem às carradas. Com a atividade física você fica menos hipertenso, menos diabético, menos parksoniano, menos tudo e com mais "vida", estranho, não! Nos mundos da atividade física ninguém fica parado, é a ditadura do mundo do suor se derramando sobre nós e Lenine canta: "o mundo vai girando cada vez mais veloz... mesmo quando o corpo pede um pouco mais de calma"...

3 comentários:

wager matias disse...

Seu sedentario! Assim vc morre cedo... têm que ser ativo e ganhar algus anos de vida. Atividade física faz bem em qualquer idade... será que os trabalhadores dos canaviais ganham mais anos de vida? Pq atividade física fazem e muito...e os sertanejos que levantam cedo atrás de água estes devem chegar facilmente aos cem anos... O engodo atividade física promove saúde, não olha classe social e nem o que realmente seja ser saudável. Os discursos são pronunciados sem qualquer reflexão ou simplismente com interesse econômico afinal, estamos na era do lucro, tudo têm que gerar renda... abraço companheiro.

jonatan disse...

A inatividade física é sinônimo de morte?
sob a ótica mercadológica o corpo, realmente professo, precisa estar a todo vapor constantemente! o que esteve presente fervorosamente no período do advento da revolução industrial e durante o discurso dos politicos do regime militar retorna como prato cheio na mesa dos insanos do mundo capitalista!
acredito, cada vez mais, que marx (personal, educador das "personas") está por aqui, e trabalhando muito viu mano?

Rosenilton disse...

Preciso rever meus conceitos!!!
M.Cassia tambem, rs,rs,rs.