quarta-feira, 21 de novembro de 2007

Diário de Bordo I...

Há "temores" que construímos que não conseguimos explicar, por mais que tentemos. Dizem para nós que aquilo que vamos fazer é seguro, mas quem disse que a racionalidade permite que isso seja incorporado de forma tranquila ao corpo? Estou me referindo ao significado que tem para muitos viajar de avião! Rapaz, tento ficar tranquilo, sigo os passos da ciência da aviação que diz que aquele meio de transporte é muito seguro, neste sentido, leio as estatísticas e vejo que elas dizem que esse é o meio de transporte mais eficiente que existe, mas por que o medo me desestrutura? Enquanto o transporte terrestre tem acidente a toda hora, as aeronaves custam, e muito, a ter acidentes, porém, vá dizer isso ao meu coração! A adrenalina entra em ação, há uma queda de temperatura brutal, fico totalmente gelado, para aumentar o meu sofrimento na semana anterior à viagem caiu aquele avião que saiu do Campo de Marte em São Paulo, pode?!
.
Quando os pés perdem o contato com o chão, quando percebo que meus pés flutuam, que estamos no ar, pronto! Minha adrenalina vai às alturas! Dizem para rezar, é a única solução possível neste momento, mas como um materialista pode rezar se é a racionalidade que o orienta? Não é mole, não! Contudo, como já disse por aqui, parafraseando o bardo inglês, há mais coisas entre o céu e a terra que apenas aviões! Sei que pode parecer ridículo, e todo mundo que não tem medo ( não é Mary Maria?) tenta me convencer que não é preciso se preocupar, tudo vai acabar bem! Todavia, voar é um sofrimento para mim, embora tente administrar esse tormento!
.
O mais estranho de tudo isso é que todas as vezes em que tive que viajar no "bicho", nunca foi uma viagem para ali pertinho! Sempre que fui para a "batalha", nunca fiz menos que quatro vôos em curto espaço de tempo. Lembro-me agora que a primeira vez, que a gente nunca esquece, uma professora, nem tão amiga assim, ao saber que era a minha primeira vez, fez uma gracinha atroz: "o senhor pode se cagar todo"; agora me responda com sinceridade: isso é lá maneira de se tratar um neófito?! Claro que não! Mas na primeira, o percurso de ida me obrigou a entrar em duas aeronaves; na volta foi uma overdose: cinco! Ah, mas tem um fato curioso que não deve e nem pode ser omitido. A tal professora fez a viagem totalmente travada, e olha que com todo medo que sentia, não deixei a oportunidade passar, dei uma verificada discretamente pela poltrona para ver se ela não estava totalmente cagada!
.
Bem, dessa vez não foi diferente, foram 4 aviões e aquele sentimento de quem tem muito medo me perseguiu por todo o trajeto, com direito a alguns sustos. O vôo estava previsto para 17:10, mas como tem coisa que só acontece com a torcida do Botafogo e comigo, para aumentar a tensão, fui avisado que haveria um atraso de 30 a 40 minutos, ultrapassou os 50! Quando, enfim, partimos, depois de um leve incidente, já que um passageiro fez o check-in e, simplesmente, desapareceu! Momentos angustiantes, juro que pensei até em bomba! Voltando à partida, quando estávamos no ar, uma sensação de que o "bicho" parou momentaneamente, um gaiato atrás de mim gritou: "agora ele vai cair"! Ouvi a voz amedrontada de minha filha dizer: "Nem em pensamentos diga isso"! Foi uma sensação de medo misturada com pavor! Contudo entre muitas sacudidelas, que me deixaram com uma leve dor no pescoço, aterrisamos sãos e salvos. Disse para mim mesmo: "não viajo mais nesta joça!" Mal sabia eu que a aventura estava apenas começando, ainda teria mais duas experiências, o consolo é que no vôo estava o cirurgião plástico Ivo Pitanguy, o que convenhamos trazia uma segurança a mais, qual companhia aérea gostaria de causar qualquer desconforto ao grande médico? Estava começando naquele momento mais uma aventura dos três pretinhos (Ró, Manuela e Manoel), depois de vivenciarem momentos antológicos no Rio de Janeiro, onde até strike aconteceu, mas isso conto no próximo...

6 comentários:

Lusimary disse...

Rapaz, estou ansiosa pela continuação das aventuras de Manoel, Ró e Manuela!!! Espero que o "strike" prometido para a próxima postagem não tenha a ver com nenhum avião! kkkkkkkkkk Você está corretíssimo! Eu adooooro viajar e não tenho medo!

Manoel Gomes disse...

O estranho, minha querida, é que cada um tem o medo que merece! Existem pessoas que se apavoram com uma simples barata, outras se assustam com uma prosaica escada, rs,rs eu te amo, viu?

Ró disse...

kkkk perfeito, só esqueceu de falar da batidinha de maracujá que tomamos pra aliviar o medo e mesmo assim nao resolveu nada.rsrs
Beijo Pretinho

Lusimary disse...

Só de pensar em escada em caracol me arrepia! rs... tinha que me lembrar isso, é? kkkkkkkkk... Também te amo, pretinho!

Manoel Gomes disse...

Hummm, Mary Maria,você tem medo de escada nesta forma?rsrs, é por essas e outras que te amo!..Quanto a Ró, meu filho querido, as novas aventuras dos pretinhos terão a doce batida de maracuja que se não resolveu, ajudou na chegada ao Rio,rs, é só esperar!!Um beijo!!

Manuela Cassia Silveira disse...

Kkkkkkkkkkk é verdade, a batidinha foi tudo!!!!! kkkkkkk e no pacote 2 ela tem q estar presente tb viu????
bjoooo