terça-feira, 20 de fevereiro de 2007

Acabou o carnaval!

Agora são cinzas! Deixei de participar, efetivamente da festa, quando percebi que a diversão, em Salvador, se tornou uma coisa tão artificial e insossa, é percebido a olhos vistos que a imagem da cidade é "vendida" como se "beijar", no sentido mais vulgar possível, fosse a tônica. Recordo-me que estando em Uberlândia, em 2004, um sujeito ao saber que era baiano, falou num tom libidinoso o quanto devia ser bom estar em Salvador no carnaval, retruquei que não era bem assim, mas sabendo que a imagem divulgada não o permitia pensar de modo diferente! Os blocos são todos "iguais" e quando a tv entra em cena, tem sempre alguém "beijando" na boca!, a "originalidade" apregoada fica por conta de umas bobagens que uns e outros trazem, do tipo um "andar" a mais no trio da Daniela Mercury etc.! Fiquei em Jequié e entre as atividades pensadas estava uma visita à Barragem da cidade...O lugar é muito lindo, vale à pena ser visto e visitado. A vegetação, as pedras que emolduram o local são de uma beleza inexorável! É perceptível um certo abandono do local. A estrada além de ser de barro, some-se a isso as últimas chuvas, é mal tratada. Não há uma "política" direcionada ao lugar. Políticas públicas de lazer seriam bem-vindas no sentido de não só proteger e cuidar da flora e fauna da região, mas de possiblitar acesso às belezas que qualquer olhar mais sensível percebe...

Um comentário:

Manuela Cássia disse...

Jequié. Sai de salvador em direção ao interior do estado. Deixei tudo para trás ao som de "vc é maluca, o que tem em Jequié que poderá ser melhor do que a "capital da alegria"? Pois amigos, eis a resposta. A melhor de todas foi a visita ao velho e querido pai, e para tornar ainda melhor, um passeio na exuberante barragem. Não tive a oportunidade de ver o espetáculo de cima. Dizem que é lindo. Quem sabe na próxima...